Cores Primárias - Agenda

Agenda

Imprimir

Cultura Ambiental: Temas e questões

Escrito por Da Redação. Posted in Cursos/Oficina

Núcleo de Estudos em História da Cultura Intelectual

sugere interdisciplinaridade para pensar a Cultura Ambiental

 
 
          Numa época em que termos como "sustentabilidade" e "responsabilidade ambiental" tornam-se linguagem cada vez mais corrente, e na qual atitudes individuais e coletivas são estimuladas em favor do meio ambiente e da natureza, é importante prestar atenção ao conceito geral que essas movimentações evocam: o de "cultura ambiental".
Embora o meio ambiente venha sendo objeto de várias ciências, disciplinas e práticas intelectuais e científicas -- indo de abstrações filosóficas a engenhosas soluções práticas --, sua abordagem tem sido predominantemente multidisciplinar. Pensar no conceito de "cultura ambiental" significa avançar essa discussão por meio de enfoques efetivamente interdisciplinares. É dessa maneira que será possível colocar a ecologia e a responsabilidade ambiental em diálogo com teorias, métodos e posturas profissionais, sem permitir que aquelas estejam subordinadas a estas.
Em uma semana de atividades, o curso Cultura Ambiental: Temas e questões apresenta e discute os instrumentais essenciais para os interessados em compreender, estudar e atuar nessa área ligada a dimensões políticas, econômicas, científicas, intelectuais e éticas. O curso acontece na Universidade de São Paulo, com promoção do Núcleo de Estudos em História da Cultura Intelectual (NEHCI-USP) e tem inscrições abertas.
 
          CONTEÚDO
 
- Introdução ao Direito ambiental
- Antropologia ambiental
- Educação ambiental
- Música, meio ambiente e ecologia sonora
- Química para o meio ambiente
- Comunicação e jornalismo ambiental
- História e história ambiental
- Patrimônio ambiental e memória cultural
 
          MINISTRANTES
 
- Erika Bechara
- Marco Fabio Polli
- Maria Angela Faggin Pereira Leite
- Marisa Trench de Oliveira Fonterrada
- Maurício Waldman
- Paulo Henrique Martinez
- Pedro Roberto Jacobi
- Wilson da Costa Bueno
 
          INSCRIÇÕES
 
As inscrições já estão abertas pelo site http://www.usp.br/historiaintelectual, e as vagas são limitadas.
Valores:
R$ 200,00 (duzentos reais) - Até 29 de fevereiro
R$ 215,00 (duzentos e quinze reais) - De 1 a 15 de março
A efetivação de inscrição oferece direito a participação em todas as atividades do curso, material de apoio e certificado de participação com carga horária de 26 horas mediante frequência de 85%.
As taxas podem ser pagas por meio de boleto bancário, transferência eletrônica e cartão de crédito (com opção de parcelamento).
Fonte: Núcleo de Estudos em História da Cultura Intelectual
 
 

MAIS INFORMAÇÕES
Núcleo de Estudos em História da Cultura Intelectual
Departamento de História – FFLCH – USP
De 19 a 23 de março de 2012 (segunda a sexta-feira), das 19h às 22h30
Universidade de São Paulo, Campus Butantã
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 
http://www.usp.br/historiaintelectual

Add a comment
Imprimir

Cursos no MuBE reúnem interessados em História da Arte, atualidades políticas, cinema, literatura.

Escrito por Da Redação. Posted in Cursos/Oficina

Em encontros mensais, denominados de Os desafios da Geopolítica Internacional, o Museu  Brasileiro da Escultura, em São Paulo, vem sediando palestras e cursos em torno dos principais temas da atualidade . O tema deste mês será Grécia e Síria: crises e reflexos globais, com palestras ministradas pelo professor Jaime Spitzcovsky, todas as quintas-feiras, das 11h30 às 13horas. Veja as datas do curso:

DATAS:  1 de março - 29 de março - 26 de abril - 31 de maio - 28 de junho
DURAÇÃO:  5  palestras
VALOR:  R$ 95,00 por palestra
LOCAL:  MuBE  -  Rua Alemanha, 221  -  Jardim Europa
 
Demais cursos, no mesmo local,  realizados por Lita Projetos Culturais, estão programados para terem início no mês de março. As matrículas estão abertas:
 
VIAGEM AO MUNDO DOS FARAÓS
Profª. Flávia Haddad
Seus templos, monumentos e personagens parecem desafiar o tempo, alimentando o mistério que envolve essa 
civilização. Juntamente com suas construções impressionantes, a religião e a magia legaram ao mundo moderno 
complexas histórias sobre a vida dos faraós, rainhas e deuses, que expõem suas extraordinárias conquistas e sua 
prodigiosa continuidade. Este curso abordará, em quatro aulas, o desenvolvimento e a evolução desta civilização 
através de uma detalhada viagem pelas principais cidades deste país. 
Aula 1 - Introdução a civilização egípcia. Sua origem, suas tradições e principais características. 
Aula 2 – O Cairo e suas obras monumentais: pirâmide de Sacara, Romboidal, Vermelha, além das legendárias 
pirâmides de Guizé.
Aula 3 – Luxor e seus templos e tumbas eternizados na história. Deir el-Medineh, a antiga cidade construída somente 
para os artesãos do faraó. 
Aula 4 – Abu Simbel e os monumentais templos de Ramsés II.
HORÁRIO:  2as feiras das 14h15 às 16h15
INÍCIO:   dia 5 de março - até dia 26 de março
DURAÇÃO:  4 aulas  
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição 
 
MITOLOGIAS DO CÉU -  NETUNO (A Dissolução) E PLUTÃO (A Transformação)
Prof. Cid Marcus Vasques
As antigas civilizações projetaram nos astros, constelações e planetas, a sua vida religiosa, seus valores, seus anseios e seus temores. Descobertos, respectivamente, em meados do século XIX e no século XX (década de 1930), Netuno e Plutão, revelaram para a idade contemporânea, com base naquilo que mitologicamente significam, novos valores, estabelecendo uma ligação entre a mente intuitiva e racional com o processo evolucionário do homem, pondo-o em 
contacto com a parte mais elevada do seu ser. Quais as histórias que eles  nos “contam”? 
HORÁRIO:  3as feiras das 10h30 às 12h30
INÍCIO:   dia 6 de março - até dia 26 de junho
DURAÇÃO:  16 aulas  ( não haverá aula dia 1/5)
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 320,00
 
O HERÓI GREGO, HÉRCULES E OS DOZE TRABALHOS  -  Parte I 
Prof. Cid Marcus Vasques
O mais importante dos heróis gregos, Hércules, foi gerado pelos deuses a fim de representar uma proposta de evolução para os seres humanos. Seu mito, sua vida, seus amores, seus trabalhos, suas vitórias, seus fracassos e seus sofrimentos foram interpretados desde a antigüidade por filósofos, historiadores de religião, escritores, poetas, artistas plásticos, escultores, psicólogos e pelos modernos meios de comunicação.Uma das mais ricas “leituras” que podemos fazer do herói, senão a melhor, é a mitológica com a contribuição da 
Astrologia, já que os doze trabalhos podem ser vistos como uma passagem do Sol pelo Zodíaco.O ciclo terá a duração de dois semestres e serão utilizados doze filmes para uma melhor compreensão do tema, nos
seus variados aspectos.
HORÁRIO: 3as feiras das 14h15 ás 16h15
INÍCIO:   dia 6 de março - até dia 26 de junho
DURAÇÃO:  16 aulas  ( não haverá aula dia 1/5)
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 320,00
 
HISTÓRIA - UM OLHAR ATENTO
Prof. Marco Antonio Guerra
“Se você perde o passado, você perde a sua alma”. 
A sabedoria chinesa é perfeita nesse aspecto. O que é o homem sem história? Como entender a si próprio, o contexto em que vive, sem conhecer o passado? 
Estudaremos profundamente momentos marcantes da História Universal, partindo de filmes que refletem a realidade humana nas suas mais variadas formas de expressão e atuação no mundo.
HORÁRIO:  4as. feiras - das 11h às 13h  
INÍCIO:  dia 7 de março - até dia 20 de junho
DURAÇÃO: 16 aulas
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 320,00 
LOCAL:  MuBE  -  Rua Alemanha, 221  -  Jardim Europa. 
HISTÓRIA DA ARTE  -  As Manifestações Artísticas do Século XIX
Prof. Marco Antonio Guerra
Partindo da releitura do clássico greco-romano das academias, chegaremos até os registros da modernidade pelo Impressionismo com suas cores, luzes e dinamismo. Através de artistas como Davi, Delacroix, Turner, Courbet, Millet e Klimt, chegando a Manet,  Monet e outros, estudaremos o período em todas as suas manifestações: contexto histórico e sócio-cultural, artes plásticas, literatura, teatro e música.
HORÁRIO:  4as. feiras - das 14h15 às 16h15  
INÍCIO:  dia 7 de março - até dia 20 de junho
DURAÇÃO: 16 aulas
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 320,00
 
CONTOS DO MUNDO TODO 
Profª. Eliane Fittipaldi
O hábito de contar histórias é comum a todos os povos de todas as épocas. Desde sempre, os homens compartilham suas experiências reais e imaginárias; desde sempre, procuram elaborá-las de modo a envolver o ouvinte e o leitor. Nesta série de cursos, estamos estudando contos de diferentes épocas, países e continentes. Contos muito ou pouco conhecidos dos leitores comuns. Contos de humor, de amor, de mistério e de terror; contos fantásticos, realistas, 
psicológicos - o que importa é que são todos carregados de qualidade literária e que nos possibilitam, no dizer de Julio Cortázar, “essa fabulosa abertura do pequeno para o grande, do individual e circunscrito para a essência mesma da condição humana”.
PROGRAMA
08/03 – Portugal: “Divinamente, a Chuva lá Fora”, Luísa Martinez
15/03 – Irlanda: “Primeira Confissão”, Frank O’Connor
22/03 – França: “O Impasse”, Colette
12/04 – Moçambique: “Cataratas do Céu”, Mia Couto
19/04 – Brasil: “O Espelho”, Guimarães Rosa
03/05 – Brasil: “O Peru de Natal”, Mário de Andrade
10/05 – Argentina: “A Que Espera”, Abelardo Castillo
17/05 – Estados Unidos: “A Vida Breve e Feliz de Francis Macomber”, Ernest Hemingway
24/05 – Estados Unidos: “A Fera na Selva”, Henry James
14/06 – Canadá: “O Esnobe”, Morley Callaghan
21/06 – Rússia: “A Aposta”, Anton Tchekov
05/07 – Japão: “Reencontros Raros”, Yasunari Kawabata
HORÁRIO:  5as. feiras  -  das 11h às 13h
INÍCIO:  dia 8 de março -  até dia 5 de julho  
DURAÇÃO:  12 aulas   -  (não haverá aula dias: 29/3 – 5/04 - 26/4 – 31/5 – 7/6 – 28/06)
VALOR:  R$ 240,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 240,00
 
O DIÁLOGO -  Conhecer-se a si mesmo
Prof. Carlos Eduardo Meirelles Matheus 
Na Grécia antiga, os filósofos discutiam sobre o significado da justiça, do amor, da verdade ou da beleza. Platão ouvia e anotava. Anotava? Estava sempre ausente. Mas participava. Ler o que Platão criou e escreveu a respeito dos diálogos que ouviu, é ingressar, pelo pensamento, nas profundezas insondáveis da mente humana. Neste curso, serão comentados alguns trechos dos principais Diálogos de Platão. 
HORÁRIO:  5as. feiras das 14h15 às 16h15
INÍCIO:   dia 1 de março – até dia 28 de junho
DURAÇÃO:  16 aulas  ( não haverá aula dias 5/4 – 7/6)
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 320,00
 
 
BREVE HISTÓRIA DA CERÂMICA CHINESA E DA PORCELANA
DA COMPANHIA DAS ÍNDIAS NO BRASIL
Profª. Maria Fernanda Lochschmidt
O curso propõe uma introdução à arte milenar da cerâmica chinesa e à história das porcelanas de exportação destinadas a decorar a mesa e os castelos da Europa e suas colônias até a Primeira Guerra Mundial.De forma especial será visto o tema da porcelana “Companhia das Índias”e a formação das principais coleções brasileiras.
HORÁRIO: 6as. feiras - das 11h às 13h
INÍCIO:  dia 2 de março  -  até dia 23 de março
DURAÇÃO:  4 aulas
VALOR:  R$ 320,00 na inscrição 
 
PELOS CAMINHOS DA ÓPERA
Prof. Sergio Casoy
Nesse primeiro semestre de 2012, iremos examinar variados aspectos desse caleidoscópio que é o universo da ópera e das histórias que a ópera conta. Nosso primeiro encontro terá como protagonista o vinho – ou melhor, os vinhos – e sua presença no palco lírico através de brindes e canções ao longo de quatorze exemplos diferentes.Depois, é a vez de três óperas nascidas de passagens do Velho Testamento. A primeira é escrita por um compositor italiano, a segunda por um francês e a terceira, curiosamente, é uma ópera francesa escrita por um dos maiores 
compositores italianos. CAMINHOS DA ÓPERA prossegue contrapondo o “primo Verdi”, o Verdi jovem, das primeiríssimas óperas, a um Giacomo Puccini maduro, de quem estudaremos as duas últimas óperas.
PROGRAMA:
02//03 - Palestra ilustrada: A PRESENÇA DO VINHO NA ÓPERA
TRÊS ÓPERAS BÍBLICAS
09/03 e 16 /03 -  NABUCCO de Giuseppe Verdi
23/03e 30/03 - SAMSON ET DALILA de Camille Saint-Saëns
13/04 e 20/04 - MOÏSE ET PHARAON ou LE PASSAGE DE LA MER ROUGE, de Gioachino Rossini 
27/04 e 04/05 - OBERTO, CONTE DI SAN BONIFACIO
11/05 e 18/05 - ERNANI
25/05 e 01/06 -  ATTILA L’ULTIMO PUCCINI
15/06 e 22/06 - LA RONDINE
29/06 e 6 de julho - TURANDOT
HORÁRIO:   6as. feiras das 14h15 às 16h15
INÍCIO:   dia 2 de março  -  até dia 6 de julho
DURAÇÃO:  16 aulas ( não haverá aula dias 6/4 e 8/6 )
VALOR:   R$ 320,00 na inscrição + 3 parcelas de R$ 320,00
                   aula avulsa: R$ 80,00
 
PROFESSORES:
Carlos Eduardo Meirelles Matheus - Formado em Direito na USP e  Doutor em Filosofia pela PUC. 
Cid Marcus Vasques - Professor de Mitologia Grega e Hindu e suas relações com Arte, Teatro, Literatura, 
Astrologia, Cinema e Música.
Eliane Fittipaldi - Mestre e Doutora em Letras pela USP. Lecionou na USP, na PUC e na FGV
Flávia Haddad - Formada em Egiptologia na Sorbonne e Arqueologia Egípcia na École du Louvre - França. Autora 
do romance histórico "Shaana, la fille du Pharaon", publicado em Paris em 2007. 
Jaime Spitzcovsky - Foi editor internacional da Folha de S.Paulo (1988-1990 e 1997-2000) e correspondente do 
jornal em Moscou (1990-1994) e em Pequim (1994-1997). Realizou coberturas jornalísticas em mais de 40 países e 
integrou o Grupo de Análise de Conjuntura Internacional da USP. Colabora regularmente com Band News FM, TV 
Cultura, BBC entre outros meios de comunicação.
Marco Antonio Guerra - Bacharel em História pela PUC-SP, com mestrado e doutorado em Artes pela ECA-USP. 
Professor Assistente Doutor na ECA-USP e na Universidade São Judas Tadeu.
Maria Fernanda Lochschmidt - Professora no MASP e Instituto Confúcio. Estudou pintura chinesa em Pequim em 
1987-1988; trabalhou como guia no National Palace Museum em Taipé de 1998 até 2002; foi moderadora de rádio 
com programa próprio sobre arte e cultura chinesas em espanhol na Rádio Taipé Internacional de 2001 a 2002. Tem 
mestrado em História da Arte pela Universidade de Viena, Áustria,  tendo como tema da tese as encomendas 
portuguesas em porcelana azul e branco da China.
Sergio Casoy - Estudioso e pesquisador de ópera há cerca de quarenta anos, lecionou História da Ópera I, II, III e IV 
na Escola de Música da ECA/USP entre 2005 e 2008. Tem intensa atividade como ensaísta e palestrante. É autor dos 
seguintes livros: Óperas e outros cantares; Ópera em São Paulo 1952-2005; A Invenção da Ópera – A história de um 
engano florentino e Contos de Óperas e Cantos.
 

SERVIÇO
VAGAS LIMITADAS
Realização : Lita Projetos Culturais
Inscrições e informações: Lita Forbes Malta 
Fones:  3887-1243 /  9973-4079
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 
www.litaprojetosculturais.com.br
Todos os cursos serão realizados nas dependências do MuBE,
Rua Rua Alemanha, 221  -  Jardim Europa                 

Add a comment
Imprimir

Férias no IMS-SP: Oficina Mirabolando formas, cores e sentidos

Escrito por Da Redação. Posted in Cursos/Oficina

Sem título, 1985. Gesso e folha de ouro sobre aglomerado de madeira.
Pintura de Mira Schendel. Foto: Jorge Bastos. © Ada Schendel

O Instituto Moreira Salles de São Paulo realiza nos dias 11 e 18 de janeiro (quartas-feiras) a oficina Mirabolando formas, cores e sentidos, com atividades que exploram as obras da mostra Mira Schendel, pintora, exposta no IMS-SP. Crianças acima de três anos e seus familiares poderão conhecer o percurso pictórico da artista suíça radicada no Brasil, descobrindo as nuances de seu trajeto pela pintura, suas opções por determinados materiais (como areia, massa e cimento) e analisar suas composições, além de criar seus próprios trabalhos.

A oficina faz parte do projeto Visitas em família, no qual crianças e seus familiares visitam a exposição em cartaz no Instituto Moreira Salles e fazem uma atividade a partir do que foi visto. O objetivo do projeto é introduzir o espaço do museu ao universo da criança, de maneira lúdica e didática.

Oficina Mirabolando formas, cores e sentidos:

Dia 11/01 (quarta-feira), às 10h30

Dia 18/01 (quarta-feira), às 14h30

Duração da atividade: 1h30

Idade mínima: 3 anos

Número máximo de participantes: 20 pessoas (entre crianças e responsáveis)

É NECESSÁRIO FAZER INSCRIÇÃO PRÉVIA ATÉ O DIA ANTERIOR À OFICINA PELO TELEFONE (11) 3825-2560, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

 

Sobre a exposição Mira Schendel, pintora:

A mostra, que fica em cartaz no IMS-SP até dia 11 de março, tem 29 obras da artista plástica e curadoria da historiadora Maria Eduarda Marques. A exposição, que ficou em cartaz no IMS-RJ de setembro a novembro deste ano, reúne alguns dos melhores exemplos da pintura de Mira Schendel (1919-1988), produzidos entre os anos 1950 e 1980, pertencentes a acervos de coleções particulares e instituições. Ao longo de sua carreira, Mira Schendel trabalhou com diferentes materiais e linguagens, sendo mais conhecidos seus trabalhos em papel, tais como as monotipias e os objetos gráficos. Mas a pintura sempre permeou sua trajetória artística. Na mostra, são apresentadas obras que exemplificam as diversas fases da produção pictórica da artista. Entre as décadas de 1950 e 1960, Mira Schendel produziu naturezas-mortas e telas que podem ser relacionadas com a obra do pintor italiano Giorgio Morandi, bem como óleos e têmperas nos quais introduziu letras e palavras. Na mesma época, a artista realizou as chamadas pinturas matéricas, que apresentam texturas compactas. Já nos anos 1980, Mira passou a produzir têmperas monocromáticas de superfície fosca e aveludada, sobre as quais aplicava figuras geométricas em folha de ouro ou traçava formas quase invisíveis com linhas tênues e leves incisões. A mostra também apresenta exemplos dos Sarrafos, obras que tensionam as fronteiras entre a pintura, a escultura e o desenho.

Instituto Moreira Salles – São Paulo
Rua Piauí, 844, 1º andar, Higienópolis
Tel.: (11) 3825-2560
www.ims.com.br
http://twitter.com/imoreirasalles
www.blogdoims.com.br

Add a comment
Imprimir

Núcleo Bartolomeu oferece oficinas de teatro gratuitas

Escrito por Da Redação. Posted in Cursos/Oficina

No mês das férias, o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos realiza uma série de oficinas teatrais gratuitas, orientadas por seus integrantes-fundadores: Claudia Schpaira, Roberta Estrela D’Alva, Luaa Gabanini e Eugênio Lima. Nos dias 17 e 19 de janeiro, Claudia promove o curso de “Criação Dramatúrgica: As Etapas da Criação da Cena Partindo da Relação com o Texto”, das 14h às 18h, com entrada Livre.

Os workshops oferecem um certificado de participação aos alunos e para se inscrever basta acessar o blog do Núcleo, preencher os campos necessários e comparecer às aulas.

O último encontro acontece nos dias 20 e 21 de janeiro, com a oficina “Disco-Aula: Uma viagem musical através do Hip-hop”, sob o comando do DJ Eugênio Lima.

Serviço
O Que: Oficinas de Teatro Hip Hop
Quando:
Ter 17/01 das 14:00 às 20:00
Qui 19/01 das 14:00 às 19:00
Quanto: Gratuito
Onde: Núcleo Bartolomeu de Depoimentos
Endereço: Rua Dr Augusto de Miranda 786, Pompeia - Oeste - São Paulo (SP).
Obs: Vagas limitadas a 15 participantes.

Add a comment
Imprimir

Simpósio: Experiência Cultural e Patrimônio Universitário

Escrito por Da Redação. Posted in Congressos

 

 

             Até o dia 26 deste mês (02) estão abertas as inscrições para o Simpósio  “Experiência Cultural e Patrimônio Universitário”, promovido pelo Centro de Preservação Cultural da Universidade de São Paulo e Pró-reitoria de Cultura e Extensão da USP, que deverá ocorrer nos dias 7, 8, e 9 de março, em São Paulo. 

             Estão programadas várias mesas de discussão com especialistas de diversas universidades e centros de preservação do patrimônio do país, e, ao contrário do que se poderia pensar, diante do tema definido, o objetivo central do encontro é aprofundar as discussões sobre conceitos importantes que permeiam as  políticas culturais pensadas na relação Universidade/Patrimônio/Sociedade. Temas como “Universidade e Vida Pública”, “Universidade, cidade e natureza”, Cultura das práticas científicas” e “ História, memória e patrimônio universitário”, reunirão nas mesas de debates, alguns dos mais significativos estudiosos desse campo, tais como os professores Ulpiano de Menezes e Maria Cecília França Lourenço, além de demais estudiosos dessa e de outras áreas de conhecimento. 
 
             A abertura dos trabalhos será realizada na sede do Centro de Preservação Cultural CPC-USP - Casa de Dona Yayá, na Rua Major Diogo, e, as mesas de debate terão lugar no Teatro da Faculdade de Medicina da USP, na Dr. Arnaldo.
 
 
Leia abaixo sobre a importância do Simpósio, a programação completa
e demais informações para as inscrições.
 
             Em meados da década de 1990, a UNESCO criou um fórum especialmente dedicado a estimular o envolvimento da universidade com as questões do patrimônio. O que interessava não era exatamente o patrimônio cultural da universidade, mas a necessidade de construção de redes internacionais de cooperação no campo acadêmico. A novidade era apenas a escala multilateral de fomento, posto que há décadas, em diversos países do mundo, como entre alguns deles compromissos importantes vinham sendo estabelecidos entre universidades (nacionais e estrangeiras) e meios institucionais da preservação. Inclusive no Brasil, onde desde a década de 1970 a crise dos paradigmas ideológicos, teóricos e profissionais que nortearam a ação governamental neste campo vinha sendo acompanhada de crescente envolvimento das universidades na produção de conhecimento e formação de quadros de especialistas e dirigentes. 
 
 
             Uma iniciativa diversa foi estruturada a partir de 2000, com a criação no interior do prestigioso Conselho Internacional de Museus de um Comitê Internacional de Coleções e Museus Universitários. Voltado à proteção de acervos e ao intercâmbio de idéias e obras entre instituições de ensino superior, também aqui o nexo com o patrimônio da universidade partia de uma definição exótica, no caso proveniente da realidade muito particular dos acervos museológicos. 
 
 
             O simpósio “Experiência Cultural e Patrimônio Universitário” não se propõe a focalizar o papel que a universidade vem cumprindo no desenvolvimento da reflexão sobre o patrimônio cultural, nem a avaliar suas próprias políticas de coleções e acervos. Em vez disso, pretende avançar na discussão de um conceito por assim dizer “nativo” de patrimônio, diretamente ligado à experiência cultural da universidade. Ao formular sua especificidade institucional, assim como das práticas intelectuais com as quais ela opera, e seu lugar na vida pública e entre as diversas formas de cultura e de saber, espera-se contribuir para a reflexão em torno dos objetos e suportes peculiares ao patrimônio universitário e de seus modos de tratamento e relevância, naquilo que os distingue dos habitualmente considerados em outras esferas de preservação dos bens culturais. 
 
 
             A USP e o patrimônio cultural da universidade
 
 
             Além de fomentar uma reflexão mais ampla sobre o tema, envolvendo intelectuais e acadêmicos de diversas áreas de conhecimento, pretende-se recolher subsídios para a consolidação de uma política de memória e patrimônio no âmbito da Universidade de São Paulo. 
 
 
             O simpósio é promovido pelo Centro de Preservação Cultural da USP. Criado em 2002 pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão, a partir da antiga Comissão de Patrimônio Cultural, sua atuação foi inicialmente marcada pela identificação, proteção, conservação e extroversão dos bens, conjuntos e acervos de valor histórico da Universidade. Nos últimos anos algumas iniciativas apontam para a revisão do alcance da noção de patrimônio cultural da universidade para além dos registros de monumentalidade, antiguidade, consagração, excepcionalidade ou raridade. 
 
 
             O desafio proposto é pensar criticamente os elos mais gerais entre patrimônio e universidade, em três frentes. Em primeiro lugar, ultrapassando o caráter eventual e exógeno das iniciativas nesse campo por princípios e diretrizes coerentes com a especificidade cultural da Universidade. Em segundo lugar, abandonando o tom nostálgico, oficial ou celebratório que povoa o imaginário patrimonial e universitário. Por último, e sobretudo, desviando o foco de interesse dos grandes marcos, personalidades ou realizações, assim como dos monumentos, acervos e coleções, para a memória dos grupos que compõem a universidade, a singularidade de suas práticas intelectuais e científicas, seus atributos de criatividade e inovação, seus suportes cotidianos de trabalho e existência, bem como os vínculos que estabelecem com a experiência cultural e política mais ampla. 
 
 
 
ABERTURA
07.03  | 19h
Sede do Centro de Preservação Cultural CPC-USP - Casa de Dona Yayá
Rua Major Diogo, 353 - Bela Vista – São Paulo - SP
 
Pró-reitora Maria Arminda do Nascimento Arruda (PRCEU-USP/ FFLCH-USP)
André Mota (FM-USP)
Fernanda Arêas Peixoto (FFLCH-USP)
José Tavares Correia de Lira (CPC/ FAU-USP)
 
MESAS
Teatro da Faculdade de Medicina da USP
Av. Dr. Arnaldo, 455 – Metrô Clínicas – São Paulo - SP
 
08.03
 
Mesa 1 | 9h às 12h
UNIVERSIDADE E VIDA PÚBLICA
A universidade parece partilhar com a cidade, ao menos no Ocidente, algumas características sociológicas comuns, provavelmente derivadas de suas afinidades históricas com os valores de secularidade, tolerância, especialização, concentração e diversidade. Contudo, há diferenças notáveis entre uma e outra, seja no plano de suas vocações sócio-culturais, seja do ponto de vista dos tipos de conhecimento que nelas se produzem.
 
A mesa se propõe a pensar as semelhanças, diferenças e inter-relações entre a universidade e a vida pública considerando a pluralidade de sentidos e atributos culturais que ambas contêm. De que modos as universidades se inscrevem na vida urbana, no presente e no passado? Como reagem aos estímulos sociais, culturais e políticos que as envolvem, e se articulam a ideologias, saberes e discursos não acadêmicos? Em que nível é possível afirmar que a universidade detém o monopólio da produção e guarda do conhecimento autorizado, e como se relaciona com os novos ‘habitats’ do conhecimento que a sociedade vem elaborando? Quais as relações que a
pesquisa e o discurso acadêmico estabelecem com a cultura pública, a política, a imprensa, as profissões práticas e a intervenção no social? Como atravessar o fosso entre a erudição acadêmica e as condições (e a política) da vida cotidiana, as controvérsias públicas, as experiências locais e os poderes institucionais?
 
Franklin Leopoldo e Silva (FFLCH-USP)
Sérgio Miceli Pessôa de Barros (FFLCH-USP)
Ulpiano Toledo Bezerra de Menezes (FFLCH-USP)
Moderadora: Fernanda Arêas Peixoto (FFLCH-USP)
 
 
Mesa 2 | 14h às 17h
UNIVERSIDADE, CIDADE E NATUREZA
Esta mesa tem como objetivo propor uma reflexão sobre as relações da universidade com o espaço físico. Visa contemplar tanto as interfaces imediatas dos edifícios e campi universitários com as circunstâncias urbanas e regionais de sua implantação, como as distintas categorias de “campo” - urbanas e rurais, ambientais e sociais, arqueológicas e naturais, humanas, minerais, vegetais entre outras - constitutivas do universo empírico das ciências.
 
Neste sentido importa refletir sobre a tendência das universidades e dos saberes científicos ao se aproximarem e/ou distanciarem de seus entornos e objetos de pesquisa, ora a eles se misturando, ora deles se afastando. Que espaços, ecologias e arquiteturas produzem para si? Como articular a experiência intelectual com a experiência espacial das universidades - ora situadas em densos núcleos urbanos, ora isoladas em zonas periféricas, subúrbios protegidos e campi avançados - do ponto de vista da relevância, vitalidade e pertinência do conhecimento nelas produzido? Como os saberes acadêmicos, ao transporem suas fronteiras físicas e institucionais cotidianas, elaboram e são elaborados por seus universos de pesquisa, reagindo, absorvendo ou recriando suas propriedades e estímulos?
 
Carlos Roberto Monteiro de Andrade (IAU-USP)
Marcus Granato (MAST/ MCT)
José Reginaldo Santos Gonçalves (IFCS-UFRJ)
Moderadora: Lilia Blima Schraiber (FM-USP)
 
 
09.03
Mesa 3 | 9h às 12h
CULTURA DAS PRÁTICAS CIENTÍFICAS
O objetivo desta mesa, como o próprio título indica, é pensar a produção universitária – científica e intelectual – como práticas, isto é, a partir dos fazeres que a constituem e não tanto, como de praxe, em função dos resultados acadêmicos que a distinguem. Trata-se de lançar uma reflexão a partir das rotinas de laboratórios e grupos de pesquisa; do cotidiano da sala de aula; dos projetos e planos de investigação; dos instrumentos, métodos e procedimentos preferencialmente escolhidos, sensível aos “estilos” e tradições próprios às instituições, às diferenças entre os campos de conhecimento ou gerações intelectuais. 
 
O propósito é lançar uma reflexão alargada, e comparada, sobre o trabalho universitário, em função do cotejo de experiências específicas, a partir do suposto de que o patrimônio universitário se constrói, e se reconstrói, nas práticas cotidianas no interior das salas de aula, centros e institutos, departamentos e núcleos de investigação. O olhar “para dentro” (e autorreflexivo) sobre a produção universitária deve contemplar também os movimentos de abertura “para fora”, tanto para parcerias extra-institucionais ou extra-acadêmicas na cena político-cultural, assim como para outras culturas, lógicas e linguagens, inclusive as ditas tradicionais ou pré-científicas.
 
 
Roberto de Andrade Martins (IF-UNICAMP/ UEPB)
Stelio Alessandro Marras (IEB-USP)
Eduardo Góes Neves (MAE-USP)
Moderador: André Mota (FM-USP, Museu Histórico da Faculdade de Medicina-USP)
 
 
Mesa 4 | 14h às 17h
HISTÓRIA, MEMÓRIA E PATRIMÔNIO UNIVERSITÁRIO
Esta mesa tem como objetivo discutir a constituição do patrimônio universitário, entendido seja como atualização de práticas e simbolismos antigos, seja como criação de novos campos de significado histórico e cultural. Neste sentido, propõe contemplar -uma reflexão sobre o registro da história institucional e o significado dos acervos e coleções, conjuntos monumentais ou de memorabilia, incorporando à reflexão sobre o universo patrimonial a especificidade sociohistórica e cultural da universidade, suas heranças (tangíveis e intangíveis) ligadas às práticas de conhecimento, ensino e pesquisa, a memória das criações, inovações e experiências no campo das artes e humanidades, ciências e tecnologias.
 
Levando em conta a multidisciplinaridade e heterogeneidade intelectual que caracteriza a universidade, e fazendo entrecruzar alguns de seus suportes privilegiados de memória, trata-se de pensar como esta se articula ou se confronta com a história e identidade institucionais. Como conceituar tal patrimônio universitário? Quais as suas singularidades ou as relações que entretêm com outras figuras memoriais e identitárias? Com as praticadas por outras instâncias do patrimônio, museus, bibliotecas, órgãos oficiais de preservação, por exemplo? Que campo de objetos, significados, atributos e categorias lhe é peculiar? Quais as formas de valorização e reconhecimento, de tratamento, registro, conservação e extroversão que solicitam? Que papéis públicos uma política de memória e patrimônio universitários teria a desempenhar na sociedade contemporânea? Que legados, heranças e contributos ela teria a cultivar para as gerações futuras?
 
Maria Cecília França Lourenço (FAU-USP)
Fernando Antônio Novais (FFLCH-USP)
Antonio Augusto Arantes Neto (IFCH-UNICAMP)
Moderador: José Tavares Correia de Lira (CPC/ FAU-USP)
 
 

INSCRIÇÕES
01 a 26 de fevereiro de 2012.
Os interessados deverão acessar o site do CPC-USP www.usp.br/cpc, seção “downloads”, onde se encontra disponível a ficha de inscrição, que deverá ser preenchida e enviada por e-mail (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.) ou por fax (55 11 3106-3562) até o dia 26 de fevereiro. As inscrições serão confirmadas por e-mail até o dia 28 de fevereiro.
Realização
Centro de Preservação Cultural da USP
Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP 
Apoio
Faculdade de Medicina da USP
Museu Histórico da Faculdade de Medicina da USP
Departamento de Antropologia da FFLCH - USP  
EVENTO GRATUITO 
(Fonte: Centro de Preservação Cultural da USP)
IMAGEM:http://yineshikale.blogspot.com/2010/03/ayahuasca-e-xamanismo-cultura-imaterial.html

Add a comment
Imprimir

Instituto Polis e USP Leste realizam encontro interdisciplinar

Escrito por Da Redação. Posted in Congressos

I Encontro Paulista de Pesquisadores de Cultura
reúne acadêmicos e sociedade civil


           Pesquisadores de temas ligados à Cultura das universidades do Estado de São Paulo e de instituições diversas deverão se reunir em fevereiro próximo, dias 9 e 10, para o I Encontro Paulista de Pesquisadores de Cultura, organizado pelo Instituto Polis – uma ONG voltada para os Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais-,  e pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo ( EACH).

           O encontro terá lugar no campus da USP Leste, como é mais conhecida a EACH,  e objetiva, conforme esclarecem os organizadores , fomentar a troca e o encontro interdisciplinares e promover a colaboração entre pesquisadores que se dedicam a temas na mesma área de interesse, no caso a Cultura,  mas em diferentes instituições ou em áreas disciplinares distintas.

           O encontro contará com a participação de pesquisadores de diferentes instituições, não só as acadêmicas, mas também governamentais ou provenientes de entidades ou instituições da sociedade civil, que apresentarão resumos de suas pesquisas em sessões temáticas que estão sendo organizadas.


Serviços
As inscrições são gratuitas e  encerram-se no dia 18 de janeiro.
Acesse o link abaixo:
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
A programação completa, com horários e divulgação das mesas de discussão será feita através do site do encontro (www.pesquisaemcultura.org ) até o final de janeiro.
Endereço: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH USP Leste)
 Av. Arlindo Bettio, 1.000, Ermelino Matarazzo - São Paulo/SP.
(todas as informações de transporte no site do encontro)

Add a comment