Cores Primárias - Especial

Especial

Imprimir

Patrimônio Cultural e Design

Escrito por Da Redação. Posted in Design

 

Podem ser enviados até o dia 30 de janeiro propostas de artigos para compor o livro Design e/ou Patrimônio, que será publicado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Subsecretaria de Patrimônio Cultural, Intervenção Urbana, Arquitetura e Design e do CCD (Centro Carioca de Design. A publicação, colorida e bilíngüe, irá apresentar ideias e promover um debate sobre as relações entre patrimônio cultural e design, discutindo conceitos, projetos e práticas envolvendo essas disciplinas.

O edital é dirigido a profissionais e acadêmicos do campo do design e disciplinas relacionadas, acadêmicos ou não. Os trabalhos devem expor pensamentos e ações do campo do design que constituam, fortaleçam e afirmem as representações do patrimônio cultural na cidade. Devem ser enviados nesse prazo inicial um resumo de até 10 linhas, com o correspondente abstract em língua inglesa, e um resumo expandido, com até duas laudas. Os trabalhos pré-selecionados serão divulgados até 13 de fevereiro e seus autores deverão enviar os artigos finalizados, com, no mínimo, cinco e, no máximo, 12 laudas, até 26 de março.

O anúncio dos textos escolhidos, máximo de 15, será feito no dia 9 de abril. O edital, bem como a ficha de inscrição e anexos, pode ser obtido no site: www.rio.rj.gov.br/patrimonio/concursos.

(ESDI/RIO)

Add a comment
Imprimir

“Typo” promove diálogo entre artistas , designers e sociedade

Escrito por Da Redação. Posted in Design

Estão abertas as inscrições para o "Typo", encontro de design que será realizado em abril na cidade norte-americana de São Francisco. O encontro, realizado há 16 anos em Berlim, teve sua primeira edição londrina em 2011 e chega neste ano a São Francisco.

O evento terá a participação de profissionais da área de design, profissionais de criação, artistas, professores, estudantes, etc. Esta edição, que acontecerá no YBCA (Yerba Buena Center for the Arts), terá como tema "Connect", e o objetivo do evento é disseminar os mais recentes desenvolvimentos em comunicação e proporcionar um diálogo com projetos criadores da indústria do design. Todas as apresentações a serem realizadas estarão disponíveis em vídeo online, bem como informações referentes às edições anteriores do evento.

As inscrições podem ser realizadas pela página do encontro, sendo que a até o dia 16 de janeiro vale o preço promocional de US$ 400,00 para profissionais e US$ 200,00 para estudantes. A partir daquela data, e até 29 de fevereiro os valores passam a ser, respectivamente, US$ 500,00 e US$ 250,00, e, a partir de março, somente profissionais poderão se inscrever, a US$ 600,00. Mais informações e inscrições no site: typotalks.com/sanfrancisco.
(ESDI/RIO)
Rio de Janeiro

Add a comment
Imprimir

Joaquim Redig e a "Brasilidade no Design"

Escrito por Da Redação. Posted in Design

Será realizado entre os dias 17 de janeiro e 9 de fevereiro, na PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), o curso "Brasilidade no design: Bandeira, BR e Aloísio Magalhães", ministrado por Joaquim Redig.

O objetivo dos encontros é analisar os aspectos da identidade visual brasileira baseando-se em dois exemplos específicos: a bandeira nacional e a marca BR/Petrobrás, além de uma análise do trabalho do designer brasileiro que mais focou o tema: Aloísio Magalhães (1927-1982), criador da marca BR/Petrobrás e um dos fundadores da Esdi, Escola Superior de Desenho Industrial, no Rio de Janeiro. Tendo trabalhado com Aloísio, Redig esteve pessoalmente envolvido com diversas dessas questões e tratou do tema em sua dissertação de mestrado “Design BR 1970 – Fundamentos do design de Aloísio Magalhães”. É autor, ainda, do livro “Nossa bandeira”, extenso trabalho de documentação, pesquisa iconográfica e análise de todas as bandeiras utilizadas no Brasil desde a colônia. Também participarão do curso especialistas  em diferentes áreas do conhecimento para fundamentar os pontos abordados.

 

As aulas serão às terças e quintas-feiras, das 19h00 às 21h30, com carga horária de 20 horas. O curso tem custo de R$ 876,00, pagos em duas parcelas. As vagas são limitadas. A PUC-Rio fica na Rua Marquês de São Vicente, 225 (Gávea). Mais informações pelo telefone: 0800 970 9556 ou no site: www.cce.puc-rio.br. (ESDI/RIO)

Add a comment
Imprimir

Dores da Colômbia

Escrito por Margarida Nepomuceno. Posted in América Latina

revela uma outra faceta da obra de Botero


Masacre de Ciénega, 2001
óleo s/ tela, 158 x 2o1 cm

Até este final de semana, os paulistanos puderam apreciar a mostra itinerante do colombiano Fernando Botero, “Dores da Colômbia” , no Mube, Museu Brasileiro de Escultura, em São Paulo, composta de aquarelas, óleos e desenhos, pertencentes ao acervo do Museu Nacional da Colômbia. As obras, doadas em 2000 pelo artista, já foram expostas em vários países e cumprem uma decisão do Museu de serem exibidas em várias parte do mundo, como um alerta, uma denúncia da situação de violência em que vive a Colômbia. A Mostra anterior foi realizada no Rio de Janeiro, no 2º semestre de 2011.

 

“Dores na Colômbia” revela massacres, como o “Masacre de Ciénega”, de 2001,  e atos de violência, como sequestros, torturas, lágrimas e sangue. São seis aquarelas, 36 desenhos e 25 pinturas que representam um recorte diferenciado da obra do artista colombiano, cuja linguagem plástica recorrente revela ironia, sarcasmo  e visão crítica diante de personagens e situações do cotidiano.

Add a comment
Imprimir

Arte como instrumento de defesa dos direitos humanos

Escrito por Da Redação. Posted in Exposições

Em mostra coletiva, artistas reinterpretam 
as liberdades civis e políticas dos cidadãos


Eliane Consol - "Sem título"
Técnica mista
40 x 40 cm, 2011.
Todos temos o dever de respeitar e proteger os direitos da comunidade.

 

Os 20 tópicos que compõem a versão popular da Declaração Universal dos Direitos Humanos, de autoria de Frei Beto ( veja abaixo) e que destacam as liberdades sociais e políticas dos cidadãos, como os direitos a moradias descentes, ao trabalho, a organização popular, entre outros, são a base para a produção dos trabalhos de artistas paulistas reunidos na exposição A Arte dos Direitos Humanos, promovida pela Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, a UNESP. A mostra iniciou-se dia 9 deste mês e vai até o dia 23. Pode  ser vista diretamente no local, na sede da reitoria do campus da Universidade, em São Paulo, bem como virtualmente, oportunidade em que o visitante poderá escolher a obra de sua preferência. 

“O objetivo da exposição é levar o público a refletir sobre os direitos humanos. Para isso, cada artista trabalhou com um deles das maneiras mais variadas possíveis. Temos desde ilustrações mais literais das frases concebidas pelo Frei Beto a interpretações mais complexas e abstratas”, diz Oscar D’Ambrosio, curador da exposição.


Marina de Falco. “Sem título”
Fotografia.
40 x 40, 2011.
Toda pessoa é inocente até que a justiça, baseada na lei, prove o contrário.
 

 

Os trabalhos foram doados pelos artistas à UNESP com o objetivo de que a exposição realize uma itinerância não apenas pelas 33 unidades da Universidade, espalhadas pelo interior do Estado, inclusive por cidades onde a instituição não tenha campus ou ainda em locais que desejem promover  reflexões sobre a cidadania .

Participam com seus trabalhos os artistas  Marina de Falco, Altina Felício, Ângela Barbour, Antonio Carlos Goper, Diana Martire, Eduardo Schamó, Eiji Yajima, Eliane Consol, Elza Carvalho, Fátima Lourenço, Fernanda Cobra, Hélio Schonmann, Isabel Pochini, Lúcia Neto, M. Clarice Sarraf e Maria Pinto. Além de Marília Martin, Marli Takeda, Matiko Sakai, Maura de Andrade, Ruth Kelson, San Bertini, Suzana Azevedo, Sheila Oliveira e Zilamar Takeda.

 

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Versão Popular de Frei Beto

  1. 1. Todos nascemos livres e somos iguais em dignidade e direitos.
  2. 2. Todos temos direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal e social.
  3. 3. Todos temos direito de resguardar a casa, a família e a honra.
  4. 4. Todos temos direito ao trabalho digno e bem remunerado.
  5. 5. Todos temos direito ao descanso, ao lazer e às férias.
  6. 6. Todos temos direito à saúde e assistência médica e hopitalar.
  7. 7. Todos temos direito à instrução, à escola, à arte e à cultura.
  8. 8. Todos temos direito ao amparo social na infância e na velhice.
  9. 9. Todos temos direito à organização popular, sindical e política.
  10. 10. Todos temos direito de eleger e ser eleito às funções de governo.
  11. 11. Todos temos direito à informação verdadeira e correta.
  12. 12. Todos temos direito de ir e vir, mudar de cidade, de Estado ou país.
  13. 13. Todos temos direito de não sofrer nenhum tipo de discriminação.
  14. 14. Ninguém pode ser torturado ou linchado. Todos somos iguais perante a lei.
  15. 15. Ninguém pode ser arbitrariamente preso ou privado do direito de defesa.
  16. 16. Toda pessoa é inocente até que a justiça, baseada na lei, prove o contrário.
  17. 17. Todos temos liberdade de pensar, de nos manifestar, de nos reunir e de crer.
  18. 18. Todos temos direito ao amor e aos frutos do amor.
  19. 19. Todos temos o dever de respeitar e proteger os direitos da comunidade.
  20. 20. Todos temos o dever de lutar pela conquista e ampliação destes direitos.

(Fonte: www.dhnet.org.br)

Serviço:
A Arte dos Direitos Humanos
Curadoria: Oscar DÁmbrosio
Local: Reitoria da Unesp 
Rua Quirino de Andrade, 215, Centro, São Paulo. 
Telefone (11) 5627-0235
Data: 9 a 23 de janeiro.
Horário de visitação: de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. 
Entrada Gratuita
Acesso ao link da mostra: http://www.unesp.br/aci_ses/aartedosdireitoshumanos/obras.php

Add a comment