Cores Primárias - Edição 12

Resenhas

Imprimir

Aprendizado e decepção no México

Escrito por Cores Primárias Pesquisa. Posted in Resenhas

Arte e política aproximam Manuel Álvarez Bravo e Tina Modotti

Fotografia de Tina Modotti

 

          Quando Álvarez Manuel Bravo e sua esposa Dolores despediram-se da fotógrafa Tina Modotti (1896-1942) na estação de trem da Cidade do México, para uma viagem que a levaria a ficar exilada do país por 10 anos, o fotógrafo mexicano por certo não imaginou que sua trajetória estaria ligada, desse momento em diante, às vanguardas artísticas e políticas do México. Foi pelas mãos de Tina, conforme seu depoimento no Excelsior,  que Bravo ficaria conhecendo seus mais famosos clientes. Os primeiros de muitos que surgiriam posteriormente a Diego Rivera, Siqueiros e Tamayo.

          Naquele 24 de fevereiro de 1930, entretanto, compartilhou com a esposa, a despedida dramática de Tina que abalada com os últimos acontecimentos políticos no México, que resultou na sua expulsão pelos órgãos políticos, disse a Bravo: “ Creio e espero voltar a vê-lo, mas em outro México e em condições menos amargas do que estas”. Segundo a pesquisadora Christiane Barckhausen Canale,  Bravo declarou que foi com a aquisição das máquinas e do material fotográfico de Tina  é que ela teria conseguido viver os primeiros anos na Europa, depois de exilada. A expulsão abrupta daquele país marca o início do fim de sua trajetória como fotógrafa e intensifica o seu compromisso com um projeto político de combate aos regimes totalitários que estavam se instalando na Europa (o nazi-fascismo e depois o franquismo),  e pelo fortalecimento dos princípios que haviam levado a Rússia a fazer a sua revolução.

          Na Europa, produziu alguns trabalhos para revistas alemãs, como a AIZ e a Arbeiterfotograf, participou de exposição dos Fotógrafos Operários ( na 2ª edição, em 1930), mas fundamentalmente, torna-se uma vigorosa militante política atuando em várias frentes do Socorro Vermelho Internacional, vinculado ao Partido Comunista,  em países como a  Alemanha, Holanda, Viena, Paris, Espanha – onde atuou na Guerra Civil Espanhola -, e na Rússia, onde residiu por alguns anos. Voltou ao México somente em finais de 1939, ainda como estrangeira” indesejável”.

 

Add a comment